sexta-feira, 6 de outubro de 2017






                     "Do fundo de mim..."

Soltaste as amarras deste cais
Partiste na fímbria da maré
Sem saber muito bem pra onde
Sem sequer saber porquê...

Chegaste ao infinito por mar
Perdida num triste remanso
Sem rumo nesse mar chão
Sem a ãncora da minha mão...

Roguei às ninfas para te guiar
Até tocares um porto seguro
Louco para te procurar

Queria tanto saber de ti
Quedo, no breu do escuro
Esperando o dia de te encontrar...




sexta-feira, 25 de agosto de 2017

"Te lambuzar de mim..."

Serva deste meu ser
Ínclito macho e senhor
Sôfrega de mim,meu suor
E minha saliva quiseste sorver

O meu sémen ousaste levar
E em cálice sublime guardaste
Para te servires a todo o instante

Fascinante e doce te despes do avatar
Profano animal que um dia ensinei a voar
Para me servires assim na noite sem pejo
No frémito intenso de cada novo beijo

Limpaste o meu corpo avidamente
Saboreando em descontrolado êxtase
O infinito delirante deste irreal presente...


segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Diz-me tu...





Diz-me como queres,Amor
Se ficas com o desejo e a loucura
Ou se preferes o silêncio da noite escura...

Agitas-me o peito nem eu sei como
Um suspiro longo,um simples assomo
E apesar de me chamares bisnau
De carregar o estigma de mau

Assusta-me porque sempre sinto
E sabes bem que nisto não minto
A doce ardência da fornalha
Do teu amor...


segunda-feira, 31 de julho de 2017





                  “Soneto do amor escondido”

Tomei o sol
Tomei a lua
Viajei nas asas
Da tua imagem nua

A cor do mar
De azul perdido
Tomava de assalto
Cada poro escondido

O amor? Estava ali
Na tua mão, carente
E teu peito farto, arfando

Queres voar agora? Vem…
Na esteira desse cometa ardente
Recebo teu sexo em brasa…pulsando.


sábado, 10 de setembro de 2016


                         Pela estrada do Amor...


Às vezes faço coisas
Que não lembram a ninguém
Carrego a rara sensação
Do ser olhado com desdém

Vou parar o tempo
Rasgar os fatos a rigor
Viver do sentimento
Pelas estradas do amor...

Fazer tantas loucuras
Mesmo aquelas que não fiz....
Tomar-te daquele jeito...
Do jeito que eu sempre quis.

Acendo a noite escura
Emborco um copo de aniz
Quem sabe uma boa tortura
Até me ajude a ser feliz...


segunda-feira, 5 de setembro de 2016



        Guardei-te assim louca de cio
        Qual Fêmea à solta, desabrida
        Tomei-te no chão frio, despida,
        Como um leão sedento e vadio...




         

quinta-feira, 1 de setembro de 2016



"Lambuzar de mim ..."

Serva deste meu ser
Ínclito macho e senhor
Sofrega de mim, o meu suor
E a minha saliva quiseste sorver

O meu sémen ousaste levar
Em cálice sublime guardaste
Para te servires a cada instante

O teu fascínio te despe do avatar
Profano animal te ensinei a voar
Para me servires assim sem pejo
No frémito intenso do teu beijo

Limpaste o meu corpo avidamente
Saboreando em descontrolado êxtase 
Infinito delírio nesta realidade ausente...